Saturday, June 12, 2010

Padres Retrógrados, vocês são a crise de valores!

Não sei o que lhe hei-de chamar, se cómico se deprimente. A direita católica pretende arranjar um candidato alternativo para as Presidenciais. Isto, por Cavaco Silva promulgou a lei do casamento homossexual.
Até aqui, nada de realmente surpreendente. Mas à medida que se continua a ler o artigo do DN, o queixo vai descaindo cada vez mais. Cavaco Silva promulgou o diploma para dar espaço à discussão, na Assembleia da República, de assuntos com repercussões relevantes na vida dos portugueses, deixando a vida privada de cada um na suas mãos, e de mais ninguém.
Mais, é mais que evidente que, se Cavaco Silva tivesse vetado o diploma, este voltaria à Assembleia da República e seria aprovado de qualquer forma. Mas não, eles rejeitam esta ideia - não percebi o raciocínio, mas tudo bem. Ainda vem aí o pior.
Eles sugerem mesmo o poder de Cavaco Silva dissolver a Assembleia da República, afirmando que a crise que vivemos não é económica nem social, "é de valores". É caso para reflectir bem sobre de onde vem a crise de valores - daqueles que não gostam de interferir na vida privada dos outros ou destes padres católicos retrógrados e fascistas.

Amigos, não estamos na Idade Média. Ponham juízo nessas cabeças.

9 comments:

Leto of the Crows said...

Eles não são retrogrados... são intolerantes e mentecaptos, isso sim.

Bernardo said...

Eu fiquei verdadeiramente chocado com isto:

http://economico.sapo.pt/noticias/lider-do-pnr-vai-candidatarse-a-presidencia-da-republica_91828.html

Isto é legal, sequer? Vai contra a constituição da República! Mas melhor que o próprio artigo, são os comentários!

Francisco Norega said...

Mesmo, leto -.-

Se é legal alguém expressar a sua opinião, e candidatar-se à Presidência da República? Acho que sim.

A partir do momento em que alguém começar a interferir com a minha liberdade individual e a dos outros, a querer meter o bedelho na vida privada de cada um, saio à rua e vou (a)tirar esse alguém da Torre de Belém, nem que seja pela janela!

João Pereira said...

fiquei parvo com os comentários á noticia! :O

Francisco Norega said...

João,
Sim, vêem-se muitos comentários de deixar uma pessoa de queixo caído, mas também se vêem outros vindos de pessoas com muita cabeça!
É realmente triste que a Igreja se oponha tanto aos vergonhosos casamentos CIVIS homossexuais, quando também os casamentos civis heterossexuais são tão reprovados por eles. São casamentos civis, ponto, a Igreja não tem nada a ver com isso, não gosta não come.
E caricato que reprove tanto o pecado da homossexualidade mas depois apoie candidatos como o Santana Lopes, divorciado e garanhão!

Igreja, antes de se preocupar com a vida privada de cada um, acabe com os casos de pedofilia que são o pão nosso de cada dia na Igreja Católica e, com os rios de dinheiro que tem, ajude quem realmente precisa, em vez de esbanjar quantias monstruosas em Santuários de Fátima e afins!

Coerência, senhores, coerência!

U said...

És tu e eu, Francisco Norega.

Mas olha que prefiro ver o Santana Lopes na presidência do que o do PNR!
Já para não falar dos argumentos que apresentou para a candidatura, entre os seus ideias nacionalistas e neonazis; (claro que tinha de constar) que ambiciona educar os portugueses para uma boa estética e bom gosto e eliminar a fealdade e a pimbalhice. WTF!? E quem vai julgar quem é bonito e quem é feio? Hmm.. talvez seja segundo os estereotipos nazis de louro, alto e de olhos azuis. Mas um português puro não é assim. E os do PNR são nacionalistas, portanto defende a supremacia da raça portuguesa. Então wait... como é que possível ser-se nazi e nacionalista português ao mesmo tempo, se são incompatíveis? Estes gajos do PNR são um 'bocadinho' incoerentes.

Francisco Norega said...

Ya, essa cena da fealdade e pimbalhice é completamente absurda, mas enfim. A parte da fealdade nem comento; a pimbalhice não e uma coisa que me agrade, mas as pessoas têm o direito de gostar ou não, de ouvir ou não. Enfim -.-

Quanto a essas incoerências... bem, não são tão incoerentes assim.
Primeiro, nazi e nacionalista é a mesma coisa. Nazi é pura e somente a abreviatura de "nazionalist", a palavra alemã para nacionalista. O Partido Nazionalist (ou, abreviado, Partido Nazi) era um partido nacionalista. Depois as coisas descambaram e o termo nazi acabou por ficar associado ao anti-semitismo, à superioridade da raça ariana, etc, mas não é isso que realmente significa.
O senhor do PNR tem todo o direito em defender o patriotismo, em achar que os estrangeiros deviam ser todos corridos a pontapé e afins ideias. Não concordo, acho absurdamente idiota, mas defendo a sua liberdade de expressão (é isto que é defender a liberdade de expressão). Ele pode achar o que quiser, não pode é interferir com as liberdades de cada um. Ou seja, pode ter os seus ideias à vontade, não os pode é pôr em prática, na minha opinião.

Um aparte... não há uma raça portuguesa. Somos uma grande mistura, fruto das conquista aos árabes, dos Descobrimentos, da imigração e emigração. Seria extremamente difícil encontrar um "lusitano" puro, não há como defender a superioridade da "raça portuguesa". Pode-se é defender o fecho das fronteiras a imigrantes, pode-se expulsar quem está cá e não tem cidadania portuguesa. Mas também há que ver que fomos dos primeiros povos portugueses a sair do nosso pequeno território para outros sítios, à procura de melhores condições de vida, e etc.

Daniel Gameiro said...

Francisco espero q esteja tudo bem. vim dar um salto ao teu blog e como sempr, a ler os teus artigos\opiniões, não deixo de reparar que és parecido cmg há 3 anos, antes de conhecer uma das pessoas que me mudou mais, o meu amigo carlos morgado. ele além de professor foi uma pessoa que me ensinou muito(esta até saiu bem!) e isto «destes padres católicos retrógrados e fascistas.» é o maior erro das pessoas que também tu discordas, acusam com palavras e deixam a verdade enevoada. não há mal em discordar, a forma como o fazemos, tal como o cavaco, é que tem de ser cuidada. lol qd pudermos discutimos sobre isto

Francisco Norega said...

Acho que percebo o que queres dizer, daniel. um dia destes combinamos qualquer coisa ;)

abraço